sexta-feira, 26 de junho de 2009

We will never forget you


Mickael Jackson

1958 - 2009

Prefiro lembrar-me dele assim, com o sorriso que me acompanhou durante a adolescência e juventude.
Não sei se chegou a seu feliz algum dia, mas fez muita gente feliz e por isso, já valeu a pena ter vivido. Viveu pouco e podia ter vivido muito mais mas viveu intensamente, sempre despertando grandes emoções. As suas músicas tinham sempre um significado, uma mensagem a transmitir. Contagiou e encantou gerações. A partir de hoje, voltaremos a ouvir a música de Mickael, mas com saudade.
(Cliquem sobre a fotografia e no link a seguir)

2 comentários:

M@ disse...

Estou muito triste mesmo.
Fico com pena ter morrido assim.
Apesar de ele ser boa pessoa não cuidava bem dele.
Talvez eu também seja um pouco parecida com ele.
Também não ligo e não cumpro as regras.
Depois chegamos a um momento em que não podemos voltar atrás.
Paz á sua Alma
Bom fim de semana para ti
Manuela

Dylan disse...

Uma criança num corpo de um adulto. Era assim Michael Jackson. A sua candura contrastava com a atitude arrebatadora que exibia em palco, uma espécie de predestinado com um talento invulgar e que enfeitiçava todas as gerações. A educação rígida traçou-lhe o futuro mas sonegou-lhe a infância, enquanto o seu direito de viver recatado era ameaçado à medida que os holofotes da fama acompanhavam o seu crescimento. Pulverizou recordes de vendas mas também era o primeiro a dizer presente às causas humanitárias onde terá doado milhões de dólares. A sua timidez, e porque não dizer a sua extravagância, originavam todos os tipos de rumores, nunca provados.
Goste-se ou não do estilo, revolucionou o mundo do entretenimento artístico e musical impulsionando de vez o respeito e o reconhecimento pela cultura negra.

http://dylans.blogs.sapo.pt/